Central de alarme

Central de alarme faz parte de um conjunto de equipamentos eletrônicos que juntos têm a finalidade de  proteger o local de pessoas mal intencionadas ou ainda detectar, um principio de incêndio.

O alerta sonoro que dificulta ou impede algum possível sinistro é disparado através de sirenes instaladas ao sistema.

Funcionamento

A Central de Alarme pode ser programada e acessada através de um teclado de comando que normalmente é instalado próximo do operador ou através de computador.

A qualquer sinal de sinistro no local, a central de alarme soa o alarme alertando pessoas próximas ou responsáveis pelo monitoramento através de mensagens gravadas, bips ou o próprio som da sirene disparada no exato momento que está ocorrendo o sinistro. 

Esse alerta pode ser programado para discagem telefônica para números programados. Lembramos que algumas centrais não possuem esse recurso.

Para garantir essa funcionalidade, a discadora da central reconhece quando uma linha telefônica não atende ou esta ocupada e imediatamente disca para outro número, mas lógico, desde que esteja programado.

Ao programar número telefônico, nunca ligar a central de alarme à secretária eletrônica.

Cuidados ao instalar linha telefônica à central de alarme:

  1. Linha telefônica convencional (CPA ou Decádica) deve ser instalada diretamente na central de alarmes, antes de qualquer aparelho telefônico ou PABX, pois a discadora da central sempre terá prioridade na ligação.
  2. Linha telefônica digital do tipo ADSL, não deve ser instalada diretamente na central, pois precisa passar antes por um modulo de conversão;

A instalação também pode ser realizada sem fio.

Os modelos de central de alarme variam de acordo com a quantidade de sensores a serem utilizados (número de zonas, onde o ideal é que se tenha uma zona para cada sensor) e com a complexidade desejada para o sistema (maior número de funções).

Outra função muito interessante de algumas centrais de alarme é de controlar acesso de pessoas e detecção de princípio de incêndio.  Elas devem ser instaladas em locais de acesso restrito e não devem ser notadas por pessoas estranhas.

A Central de Alarme pode ser programada e acessada através de um teclado próprio (teclado de comando) que normalmente é instalado próximo do operador do sistema ou através de computador.

Os modelos mais atuais possuem:

  1. Filtros de alarme falso contra interferências externas (ex. raios, variação de tensão, animais de pequeno porte, etc);
  2. Identificação e registro de quem ativa ou desativa o alarme, através de senhas individuais;
  3. Bateria (com verificação automática de carga) que evita interrupção do funcionamento;
  4. Botão de pânico para usuário acionar manualmente o alarme (sonoro ou silencioso) com o intuito de inibir qualquer tipo de ação indesejada e alertar empresa de monitoramento ou polícia militar. Geralmente esse botão é instalado em local discreto, mas de fácil acesso do usuário. Há opções no mercado de botão de pânico sem fio que necessita de carregamento.

Itens para funcionamento da central de alarme

Sensores: são dispositivos que respondem a estímulos físicos (calórico, luminoso, sonoro, pressão, magnético) e transmite um pulso à central de alarme.

Existem sensores com ou sem fio.

Sirenes: são acionadas quando um ou mais sensor for  acionado, ou quando o sistema for violado (tentativa de sabotagem).  Normalmente são utilizadas  sirenes eletrônicas de 120 decibéis a um metro de distância, existem também sirenes que reproduzem a voz humana, sirene de polícia e o latido de um cachorro.

 Elas devem ser instaladas em locais de difícil acesso e que não abafem o som. Recomenda-se a instalação de no mínimo duas sirenes em locais opostos da edificação, para que em caso de sabotagem de uma delas a outra possa dar o alarme a tempo. 

Fonte de alimentação e bateria: A fonte de alimentação tem a função de transformar a energia elétrica alternada (110 ou 220 V) em tensões contínuas apropriadas para alimentar a central de alarme, sensores, discadoras etc. e também carregar em flutuação a bateria sobressalente, para que ela alimente o sistema principalmente se a energia elétrica do imóvel for interrompida.

A bateria deve ser selada para facilitar a sua manutenção e sua autonomia depende de alguns fatores, mas principalmente de sua capacidade de Ah (ampere/hora). Existem baterias para 6, 12 ou mais horas.

Recomenda-se também que a fonte de alimentação AC (110/220) da central de alarme seja energizada diretamente no quadro elétrico, sem passar por qualquer disjuntor ou fusível de proteção, com o intuito de evitar o desligamento da central de alarme e consequentemente a descarga da bateria. 

Controle remoto: dispositivo destinado a comandar ou regular o funcionamento da central.

Interface celular de alarmes: equipamento eletrônico utilizado para evitar fraudes e garantir o funcionamento do sistema de alarme.  Tem a função de supervisionar, controlar e efetuar backup de segurança. Em caso de falha ou sabotagem na linha telefônica ou avaria na própria central de alarme, o aparelho assume o controle da área protegida, comunicando, via celular, qualquer tipo de ocorrência para a central de monitoramento e/ou diretamente para o telefone do proprietário do sistema.

Vantagens de ter uma central de alarme instalada

  •  Impede entrada de pessoas mal intencionadas no local;
  • Valoriza o imóvel além de proteger suas instalações;
  • Pode ser integrada a um sistema de monitoramento, ou seja, permite acesso remoto ao local, via celular ou desktop;
  • Tranquilidade ao viajar ou se ausentar por um período maior;
  • Economia na apólice de seguro (seguradoras dão descontos no seguro quando existe um sistema de segurança instalado);
  • Manutenção barata.
Onde Estamos
Contate-nos

Por formulário

Por Telefone

contato telefone
11 4587-1234
contato whatsapp
11 99966-1446